quinta-feira, 21 de julho de 2011

E eu corro,corro atrás mesmo. Persisto,pulo,trabalho e me esforço, mais do que muitas outras pessoas,com certeza. Eu me preocupo com o que eu estou fazendo e o futuro que isso ia dar,aonde eu quero chegar,e eu tento,tento,e tento.. e não adianta,a luz branca some,em quase todos os sentidos. Sinto que tem uma mentira por trás do tempo aonde poucos me reconhecem atualmente,e menos ainda, poucos me entendem ou sequer acreditam em mim. Eu perco a oportunidade de pegar essa luz branca, eu perco a oportunidade de ser melhor.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Pensei que, apesar de tudo, terminaria bem,pensei mesmo. É como se tudo que ocorresse ainda estivesse acontecendo por um bem maior, enquanto eu espero longamente para que tudo possa dar certo, e tudo possa continuar. Porém,em algum lugar desse caminho eu não te vi, e você, tampouco. Tudo que eu via era uma cena repitida por tantas e tantas outras vezes,e tantas e tantas pessoas de tantos e tantos caminhos que eu achei melhor nem ligar,dar tempo ao tempo é ir direto ao que interessa,mas de olhos fechados. E, sinceramente,eu não sei mais o que interessa.. meu mundo é cercado de pensamentos negativos que passam me repreendendo a todo momento. "tem gente sendo assassinada", "gente perdendo parentes, amigos e outras pessoas por dinheiro,drogas, brigas e diversas outras coisas", "tem gente passando fome,tem gente doente,tem gente pobre,e você não pode se queixar". São pensamentos que me fazem refletir,mas ao mesmo tempo não me deixam livrar-me desse estigma emocional que, mesmo já o tendo a tempos,o percebi a poucos,e sei pelo que você passou, e sei que foi graças a mim. Não sei se foi pior ou melhor,mas sei o que foi. E acima de tudo,sou egoísta,não gosto ou nem sequer sei esperar e ver os outros com as minhas coisas,as minhas pessoas. Acho que todo mundo é um pouco assim,mas só não quer falar. Acho que eu tenho vergonha de falar isso,mas eu me lamento por ser individualista,bem lá no fundo. E eu acho que muita gente se sente assim. No final, é a mesma merda. A gente sofre intimamente porquê tem vergonha, e estampa isso com um sorriso.